Como definir o capital a segurar do Edificio e Recheio

O capital a segurar do Edifício e do Recheio no seguro multirisco habitação obedece a regras:

O Tomador do seguro é soberano na definição do capital a segurar, pois ele é que sabe o que tem na habitação.

Contudo vou dar dicas para fazê-lo da forma correcta:

Edifício

Deve segurar pelo valor de reconstrução do mesmo ou pelo valor matricial no caso de edifícios para expropriação e demolição.

O terreno não é segurável, mas as zonas comuns devem ser consideradas no seguro (especialmente quando se vive ou tem escritório em condomínio). Acrescente 10% ao valor do capital seguro para as zonas comuns.

Para saber o valor de reconstrução pode ler o artigo que escrevi sobre o mesmo ou então consultar a portaria do Ministério do Ambiente. A portaria refere “preço de construção da habitação por m2 de área útil”. As seguradoras utilizam esta portaria para determinar o valor de reconstrução por m2 para habitações, pavilhões industriais, escritórios, zonas comuns de condomínios e garagens.

No caso de habitação – aplicar o valor definido na Portaria

No caso de Escritório – 60% do valor definido na Portaria

No caso de Pavilhão Industrial – 50% do valor definido na Portaria

No caso de Garagem – 40% do valor definido na Portaria

No caso de Zonas Comuns – 30% do valor definido na Portaria

Recheio

O valor a segurar deverá corresponder ao valor de substituição em novo. Na prática, aconselho a segurar pelo valor que adquiriu os bens, pois não sabemos o valor deles amanhã. E subscreva a cobertura Valor de Substituição em novo (implica actualização de capital seguro anualmente e de uma forma automática que pode ser convencionada – define uma percentagem de actualização – ou indexada – com base no Indice de Habitação e Recheio).

Recheio especial – Jóias, Ouro, Prata, Colecções, artigos em Peles, …

Faça uma listagem, identificando e valorizando um a um, os bens valiosos. Peça ajuda a um perito avaliador, caso necessite.

Se não o fizer, as seguradoras apenas indemnizarão por norma até um máximo de 30% do valor do recheio seguro num máximo de €1.500,00 por objecto. Caso a % de objectos valiosos danificados ou roubados seja superior a 30% do recheio, será aplicada a regra proporcional.

Comente e acompanhe-nos no Facebook.

Cordiais Saudações

Pedro Monteiro

0 Comentários.

  1. Boa tarde

    1. A Portaria 353/2013 de 4 Dez definia o preço da habitação por metro quadrado de área útil para efeito da determinação da renda condicionada, regulada pelo DL nº329-A/2000 de 22Dez.

    2. O valor fixado pela Portaria mencionada no ponto 1. inclui o valor do terreno.

    3. A Lei 80/2014 de 19 Dez que “estabelece o regime de renda condicionada dos contratos de arrendamento para fim habitacional” revogou o DL n329-A/2000, de 22 Dez não será por esse motivo que em 2014 não foi publicada qualquer Portaria a fixar o valor de reconstrução por metro quadrado, para esta finalidade.

    4. Em 30 de Dez de 2014 foi publicada a Portaria 280/2014 que fixou o valor médio de construção em 482,40 € por metro quadrado, para efeitos do artº 39 do CIMI a vigorar para o ano de 2015, este valor não inclui o valor do terreno.

    5. Não será mais correcto as seguradoras basearem-se neste valor para calcular o Capital a segurar.

  2. Bom dia Sr. Pedro Monteiro.
    Fiquei deveras sensibilizado, pela positiva, com o conteúdo deste site, sobretudo pela clareza e sistematização nas suas respostas. Assim sendo, estando neste momento em fase de consulta para um seguro da casa em que minha mãe vive, e sabendo que oferece igualmente esse serviço, gostaria de saber qual a sua proposta para: apartamento T4 com 107m2 em Lisboa, construção anterior a 1951, necessidade de incluir riscos eléctricos e fenómenos sísmicos, paredes (25000?) e recheio (??). Qualquer dúvida ou esclarecimento, ficarei à sua disposição, felicitando-o uma vez mais, pelo seu site. Luiz Carvalho

    • Caro Luiz

      Agradeço suas palavras e a oportunidade de poder prestar um bom serviço.
      Solicito envio de Mail para sitedosseguros@gmail.com com as seguintes informações:

      Ano de construção – repita a informação aqui dada por favor
      Ano de obras de canalização e electricidade
      Área – repita a informação aqui dada por favor
      sistemas de proteção contra roubo – alarme? Grades? Porta blindada?
      Capital de recheio – 25.000
      Código postal e localidade

      Obrigado

  3. Só agora encontrei este blog, e é otimo encontrar alguem que percebe do assunto e se dispõe a ajudar.
    A questão que coloco, como administrador de condominio (tocou-me a mim este ano) como poderei avaliar se os seguros das fracções estão actualizados? Deverei considerar a soma das areas brutas privativas e dependente (indicadas nas cadernetas prediais), multiplicado pelo valor de reconstrução p/ m2?
    mas… Nas cadernetas prediais, o fisco considera a área bruta de construção (A) no calculo do valor de patromónio, este valor de área pode ser utilizado?
    Bom Natal

    • Caro José Botelho

      O seu raciocínio está correcto. Ao valor final acrescente 10% para zonas comuns se estivermos a falar do prédio todo seguro. Caso contrário (pelo menos 50% das fracções seguras) além do seu raciocínio, considere 30% do valor total do predio para zonas comuns.

  4. Gostaria de saber se a cobertura (telhado) conta como um piso no cálculo da área total dum edifício?

  5. Boa tarde. Pergunto como se define o capital seguro para a cobertura “Riscos eléctricos” para o Edifício (paredes) e Recheio (conteúdo)? Também pergunto se faz sentido contratar a cobertura “Inundações” para o recheio sendo uma fracção num 5ºandar do prédio. Obrigado e cumprimentos.

    • Boa tarde Ricardo Lopes

      Algumas seguradoras têm um capital já definido para Riscos Electricos. Caso não tenha, deverá considerar todos os aparelhos electricos da casa, saber quanto custa adquiri-los de novo e atribuir esse valor total ao capital de riscos electricos.
      Inundações faz sempre parte da cobertura base e vale sempre a pena, pois as “chuvadas” fortes provcam inudações em telhados, por exemplo.

  6. Qual o valor de reconstrução de 1 piso que seja exclusivamente de arrecadações? Obrigado.

  7. Uma potencial seguradora disse-me que não usaria o valor de 40% acima referido mas 100% para as áreas em questão.
    Tem alguma sugestão sobre como poderei arrazoar com essa seguradora sobre este assunto?
    Corro algum risco se eu segurar a moradia num valor calculado dessa forma, mesmo que eles não o usem nas suas avaliações?

    • Boa noite Orlando

      Diga à seguradora que umã garagem ou arrumo não tem os mesmos acabamentos e contrução de uma habitação. E quem lhe disse isso é incompetente e não sabe o que faz.
      Se fizer tudo a 100% estará a fazer sobreseguro e não ganha nada com isso pois na hora da verdade a seguradora só paga o que tiver que pagar.
      Se quiser tratar connosco, prestar-lhe-emos um bom serviço. Peça cotação em http://www.sitedosseguros.com/particulares
      Bom Ano!

      • Bom dia Pedro Monteiro

        Perante a sua resposta oa Orlando, que penso que se alicerça na portaria que determina os valores de reconstrução, não encontro nesta nada que diga que o valor de reconstrução de uma garagem é diferente do resto do edifício.

  8. Boa tarde como posso calcular o capital do predio?

  9. É bom encontrar quem sabe deste assunto, mas não é fácil!
    Estou a tentar actualizar o meu seguro, mas tenho algumas questões sobre a avaliação:
    1- A minha moradia tem 4 pisos, 1 cave/garagem/arrumos + 2 pisos de habitação + 1 sótão/águas furtadas, mas habitável. Presumo que à área da cave possa aplicar o valor de 40% acima referido. Estou certo?
    2- Quanto ao sótão, também poderei usar 40%? Visto que fica sob o telhado, o valor de reconstrução é inferior à de habitação normal.
    3- A área útil é a soma das áreas interiores, ou deverei usar a área coberta de cada piso para calcular a área útil?
    4- As percentagens acima indicadas (para garagens, etc) onde se encontram legisladas?

  10. Boas,

    Neste momento queria fazer um seguro de recheio e inclusive já tenho algumas simulações. O valor divide-se 39k para casa e 6k para a garagem (box). Grande parte do recheio não existem faturas e não querendo chatices no futuro com as seguradoras gostaria de saber se serei ressarcido de tudo aquilo que não tenho fatura. Para simplificar se a minha garagem for roubada a indemnização é no valor de 6.000 euros? Como faço prova daquilo que lá está?

  11. Hugo Mendes Domingos

    Excelente artigo, os meus parabéns.

  12. Boa noite tive um furto na minha garagem o perito veio fazer avaliação de danos e pediu as facturas dos bens como devem entender eu nao tenho até porque muitas das coisas são roupa e calcado.
    Na altura que contratei o seguro ficou escrito nas condições particulares que eu dispunha de 6000 euros de recheio na garagem.
    Agradecia a sua ajuda.
    Cumprimentos

  13. Olá,gostaria de saber como calcular o valor atual ano(2012)do m2 em fânzeres Gondomar.Vivo num prédio em propriedade horizontal,pergunto isto porque ainda não pago IMI e sei que as finanças andam a meter os pés pelas mãos nas novas avaliações neste momento a serem executadas,obrigado.

  14. Hélder Monteiro

    Bom dia,

    Gostaria que me esclarecesse as seguintes questões:
    – Qual a área a indicar a uma companhia de seguros, para efectuar um seguro multiriscos, tendo a fração 116,850 metros quadrados de área bruta privativa, 36,400 de área bruta dependente e um sotão (arrumo) de 24,60 de área?
    – Se efectuar um seguro de condomínio como calcular o capital a segurar, tendo o prédio 413m quadrados de área coberta, 4 pisos incluindo o piso dos sotãos,nove frações e situado na zona 1?

    Agradeço desde já a atenção dispensada.
    Hélder Monteiro

  15. Sabe dizer-me qual o valor a segurar se for uma loja de comércio, por exemplo uma sapataria? Obrigada.

  16. Boas

    Para ser mais preciso:
    “Pavilhão Industrial – 50% do valor definido na Portaria”

    Qual é a Portaria?

    Muito obrigado

  17. Boa Tarde

    “As seguradoras utilizam esta portaria para determinar o valor de reconstrução por m2 para habitações, pavilhões industriais, escritórios, zonas comuns de condomínios e garagens.”
    Gostaria de saber qual é a Portaria?
    Muito obrigado.

  18. Boa tarde, tenho um seguro Multiriscos Lar da Zurich. Posso incluir neste seguro o Recheio? ou é preferível fazer um seguro independente para o Recheio?

  19. No caso da garagem o dano de portões eléctricos está coberto em caso de furto/roubo ou vandalismo no seguro de recheio?

    • Caro César

      Se assalto foi consumado, fica coberto pela cobertura de Furto/Roubo. Caso contrário, na cobertura de Actos de Vandalismo. Em qualquer dos casos tem que enviar para a seguradora a participação feita na Polícia/GNR

      • Bom dia, estou com umas duvidas, estou a viver num condominio, em que tive um pequeno acidente no parque exterior do predio e danifiquei umas escadas. Contactei o responsavel do condominio que me disse que ia passar por la para verificar as escadas que falou em participar ao seguro do condominio. A minha questão é tenho que participar no meu seguro automovel? que custos tenho quando se participa ao seguro do condominio?

        Obrigado

        • Boa tarde Nuno

          Se vive no condomínio onde bateu com a viatura, não há nenhum seguro que lhe valha. Isto porque a cobertura de Responsabilidade Civil só se aplica a terceiros e o condomínio não é um terceiro para o Nuno, porque reside nesse condomínio.
          O seguro de condomínio também não serve porque o dano na escada foi causado por um condómino (o Nuno).
          Lamento, mas terá que suportar os custos do arranjo das escadas.

          Cumprimentos
          Pedro Monteiro

          • Ok, tinha deduzido isso mas como a 1ª e ultima vez que falei com o administrador do condominio, ele falou-me em participar no seguro do prédio. por isso fiquei a pensar como seria. Sendo assim para além da despesa do carro (que não foi pouco) tenho que tratar tambem do arranjo da escada.

            Obrigado pela sua atenção.