O que deve saber antes de contratar um Seguro de Acidentes Pessoais

Um seguro de Acidentes Pessoais cobre acidentes causados ao próprio segurado no decurso da sua actividade profissional e tempos livres. É um seguro que podemos accionar quando nos magoamos em casa ou em qualquer outro sítio. Funciona em todo o Mundo e 24 horas por dia. Não funciona em caso de doença (há uma excepção).

Vou explicar cada uma das coberturas possíveis de contratar:

Morte e/ou Invalidez Permanente –  a Invalidez Permanente já foi explicada em artigo anterior. O que é preciso esclarecer é a distinção entre Morte e Invalidez Permanente e Morte ou Invalidez Permanente.

Imaginemos que contratou um capital de 50.000. Caso ocorra Invalidez Permanente, a seguradora paga o capital de invalidez correspondente à % determinada pela junta médica, ou seja, uma invalidez a 80%, a seguradora paga 80% de 50.000. Caso ocorra, no prazo máximo de dois anos, a Morte devido a essa invalidez, a seguradora paga mais 50.000. É aqui que está a diferença. Se optasse por Morte ou Invalidez Permanente, a seguradora pagaria os restantes 20% de 50.000.

A Morte só está coberta a partir dos 14 anos.

Despesas de Tratamento – é fundamental escolher um bom capital, pois é talvez a componente mais importante neste seguro. Caso tenha que accionar este seguro no estrangeiro (o mais normal), pague as despesas e entregue comprovativos à sua seguradora. Podem ser aplicadas franquias dependendo do que contratou, mas o meu conselho é evitá-las.

Despesas de Funeral – não há dúvidas, pois não?

Incapacidade Temporária Absoluta – permite receber um subsídio diário em caso de incapacidade temporária para trabalhar pelos dias que esteve incapacitado. Mesmo que esteja em casa a recuperar, pode solicitar à seguradora o accionamento desta cobertura, caso a tenha contratado. É a cobertura que encarece mais este seguro. Podem ser aplicadas franquias dependendo do que contratou.

Incapacidade Temporária em caso de Internamento Hospitalar – o mesmo que a incapacidade temporária absoluta com a diferença que só é accionada em caso de estar internado no Hospital. É uma cobertura que costuma ser contratada e muitas vezes com franquia de 3 dias. Pode pedir para revogar essa franquia.

Que cuidados é que tem que ter ao fazer um seguro de Acidentes Pessoais?

1º – Consoante seja aplicável ao seu caso, deve contratar as coberturas abaixo, pois estas não estão garantidas na cobertura base:

– Utilização de veículos motorizados de duas rodas ou bicicletas e triciclos

– Prática de desportos como amador e como profissional

– Prática de caça a animais ferozes

– Prática de desportos de Inverno

– Prática de artes marciais

– Pára-quedismo

– Utilização de aeronaves privadas

– Actos de guerra, terrorismo e perturbações da ordem pública

2º – Seguros de Viagem

São seguros de Acidentes Pessoais temporários. Existem soluções anuais e renováveis em algumas seguradoras, o que pode dar jeito a profissionais que viajem muito.

Tem as mesmas coberturas de um seguro de Acidentes Pessoais normal. Aqui é possível contratar coberturas adicionais de Assistência às Pessoas, pois esta cobre doenças súbitas até um determinado capital. Se vai viajar para os EUA ou Brasil em que os cuidados médicos são muito caros, contrate esta cobertura. Na UE pode utilizar o cartão azul de doença.

3º- Contrate um bom capital de Despesas de Tratamento

É talvez a cobertura que o(a) motiva a contratar um seguro destes. Determine quanto é que necessita, tendo em conta os locais para onde vai ou o que faz nos seus tempos livres. Vai aos EUA? Pelo menos 20.000 é o aconselhável. Não se esqueça da cobertura de Assistência às Pessoas com a inclusão de Doença Súbita.

Dependendo do que escolher, o capital de Morte/Invalidez é quase sempre dez vezes mais que o de Despesas de Tratamento. Consulte o seu Mediador ou a sua seguradora.

4º – Riscos Profissionais e Extra-Profissionais

O seguro cobre estes dois riscos e é cumulativo com o seguro de Acidentes de Trabalho nos riscos profissionais. Se a sua empresa já tiver na mesma seguradora o seguro de Acidentes de Trabalho, pode pedir a exclusão dos riscos profissionais, ficando o seguro com o preço mais baixo.

Participe e coloque as questões que bem entender.

Pode acompanhar o nosso Blog no Facebook

Cordiais Saudações

Pedro Monteiro

10 Comentários.

  1. Sou a mãe de uma menina, que no ATL de férias do verão passado partiu os dois dentes do maxilar superior.
    O ATL era coberto por um seguro, que paguei no ato de inscrição.
    Na altura actuamos de imediato, tendo sido reconstruidos os seus dentinhos. Entreguei as facturas da despesa com o dentista ao mediador.
    Entretanto passaram-se muitos meses todos e nada aconteceu. O mediador informou-me que tinha havido um atraso com a apólice pois sendo um seguro colectivo ainda não haviam recolhido os dados de todas as crianças e por isso ainda não havia sido realizada conversão da apólice em definitiva. Até hoje!
    A situação complica-se quando acerca de dois dias a massa da reconstrução caiu. O dentista informou-nos que esta situação é inevitável uma vez que a reconstrução não é definitiva. A Leonor tem 10 anos e a dentição dela ainda está a mudar. Eventualmente terá de fazer uma reconstrução à séria mais tarde. O dentista alertou-me que deveríamos pedir à seguradora o seu parecer e avaliação dos dentes da minha filha pois esta apólice tem um prazo e se tivermos que voltar a intervir com algum tratamento poderá já não estar coberto pela seguradora. O dentista diz estar também disponível para qualquer esclarecimento.

    A situação complica-se quando acerca de dois dias a massa da reconstrução caiu. O dentista informou-nos que esta situação é inevitável uma vez que a reconstrução não é definitiva. A Leonor tem 10 anos e a dentição dela ainda está a mudar. Eventualmente terá de fazer uma reconstrução à séria mais tarde. O dentista alertou-me que deveríamos pedir à seguradora o seu parecer e avaliação dos dentes da minha filha pois esta apólice tem um prazo e se tivermos que voltar a intervir com algum tratamento poderá já não estar coberto pela seguradora. O dentista diz estar também disponível para qualquer esclarecimento.
    Telefonei para o mediador que me voltou a dizer que a apólice já foi emitida e que o processo deverá agora ser tratado rapidamente.
    Tenho muitas dúvidas relativamente a este mediador e respetiva apólice. Como deverei atuar?
    Atenciosamente
    Dulce André

    • Bom dia D. Dulce
      Nada a impede que contacte directamente a seguradora para saber o ponto de situação. Aliás, os prazos de assunção de responsabilidade da seguradora já passaram, pelo que tem todo o interesse em fazê-lo.
      Aconselho-a a organizar um dossier com toda a troca de informações, sendo extremamente recomendável que formalize por escrito todas as questões que coloca, seja ao mediador, seja à seguradora.
      Relembramos que muitas vezes os mediadores não têm efectivamente culpa nenhuma por este tipo de atrasos. Outras vezes infelizmente têm, pelo que o contacto directo com a seguradora recomenda-se. Deverá informar o mediador que o fará, em todo o caso, para que não ocorra qualquer desacerto com o que foi já comunicado à seguradora.
      PS – nos termos protocolados, pode usufruir de uma reunião gratuita para mais esclarecimentos ou exibir documentos.
      Visite http://www.ribeiroteixeira.pt
      Cumprimentos
      José Ribeiro Teixeira, advogado

  2. Boa tarde Sr, Pedro,
    Estou a debater-me com um problema, Tenho um seguro particular de Incapacidade por Acidente e estou numa situaçao de a ele recorrer. O problema é que o meu médico de família se recusa a prencher o formulário e atestado do Seguro e apenas me passou o Atestado de Incapacidade Temporária, pois diz que não tem que prencher mais nada uma vez que não trabalha para o seguro, o que devo fazer?Muito Obrigada

  3. Boa tarde, Sr. Pedro,

    Antes de mais, parabén pelo seu trabalho neste blog, que me tem retirado muitas dúvidas relativamente a situações, por vezes algo peculiares, na área seguradora, área na qual trabalho! Passo a expor uma situação que me está a criar algumas dúvidas: tenho um cliente com um contrato de acidentes pessoais. O mesmo faleceu no final do ano passado, em virtude de um acidente de viação, por culpa de terceiro! Obviamente que activámos participação para pagamento do capital de morte em virtude do acidente (não existiram despesas de tratamento ou repatriamento associadas). Até aqui, tudo bem! Depois de alguma burocracia, o capital contratado por morte foi pago aos herdeiros legais! As despesas de funeral foram suportadas pela companhia do terceiro embora, no contrato do cliente, tal cobertura também estivesse abrangida! Agora, surge a dúvida, pois a esposa do cliente informou que o advogado estava a tratar de uma queixa, por a companhia na qual estava o contrato de acidentes pessoais, não contemplar as despesas de funeral! Se as mesmas foram pagas pela companhia do terceiro, tem direito a ter novamente as ditas despesas pagas pelo contrato de acidentes pessoais?? Depois de várias consultas às condições gerais e a decretos lei, não consigo ter nenhuma documentação de suporte, para poder apresentar à esposa do cliente, referindo que se despesas foram pagas por uma apólice, não tem direito a ser ressarcida noutra apólice, mesmo que tal cobertura estivesse contratada! Estou errada nas minhas ilações?? Terá a cliente direito a ter as despesas de funeral pagas quer pela apólice de acidentes pessoais, quer pela apólice do terceiro, tendo sido este o culpado pelo sinistro??

    • Boa tarde Claudia

      na minha opinião, as despesas de funeral não são cumulativas com outras apólices ao contrário do capital de morte e invalidez.
      A cobertura de funeral é acionada contra apresentação de despesas
      Se houvesse insuficiência de capital na apólice do seguro do causador do acidente, poder-se-ia accionar as despesas de funeral da apólice de acidentes pessoais. Obviamente que tal nunca acontece porque a cobertura usada para pagar despesas de funeral foi de responsabilidade civil do terceiro.

  4. yajaira del carmen morillo

    boa tarde gostava que me imformara sobre apolice de seguro acidentes pessoais combre o restante do ordenado de uma pessoa que esta com baixa ficava muito grata por sua informação fico a espera de sua resposta obrigaba

    • Cara Yajaira

      O seguro de acidentes pessoais apenas paga um capital em caso de Morte e Invalidez, podendo atribuir um subsidio diário, desde que tal cobertura esteja contratada. Logo, não paga ordenado.

  5. Bom dia. Se ocorrer a morte do segurado em vez da invalidez, a seguradora paga os 50.000€(valor do seu exemplo dado)? Obrigado